20 de novembro de 2010

Sessão do dia 13/11/2010 - 31 outubro de 1.404

   
De volta à reunião os magi permanecem um tempo em silêncio e reflexão. Arturo entra na sala e avisa que está se dirigindo para a Basílica Santa Maria del Fiore onde terá uma audiência com bispos e juízes da cidade, a fim de retirar os milicianos da Santa Croce. Heráclito e Svetlana se prontificam a acompanhar Arturo. Os outros permanecem na sala e Abdul e Pietro dialogam sobre o ataque aos islâmicos. Bate na porta um franciscano e diz que há um miliciano procurando pelo magi. Abdul autoriza a entrada do miliciano, mas quem se apresenta usando o corpo do miliciano é o "monge dos acordos" propondo que os magi interrompam uma missa negra que acontecerá às 02:00am, na Igreja de São Lorenzo, no norte da cidade. Afirma o monge que, se os magos forem ao local, encontrarão algo que os interessa. Informa também que a missa acontecerá numa catacumba, debaixo do altar central.

Enquanto isso, Yun Lee é enviado à Firenze...

Abdul, através de magia, tenta recuperar a Espada de Miguel, sente sua presença nos escombros, mas descobre que ela foi levada, porém, não foi destruída.

Pietro e Aurora discutem a  proposta do mago. Abdul usa mente e observa ucomo que uma ondulação de calor no posto dos milicianos, interpretado como um poder tal que desestabilizou a realidade, e se angustia ao ver dezenas de homens mortos: judeus, islâmicos e milicianos. Vê também seu sogro, Yazir, morto, e lamenta. No mastro da bandeira de Florença, Abdul vê a imagem da onça - representando a intolerância religiosa. 

Pietro sugere usar magia conjunta com Abdul para ver o passado da San Lorenzo. Os dois começam um jogral e veem a Igreja que hoje está velha e em ruínas, sendo construída por outros povos e dedicando-a à Marte, depois à Cristo e sendo assumida pela Diocese de Firenze, se esvaziando e se enchendo dos ricos de Florença. Sentem que, apesar do tempo que passou, muitos dos morto ainda estão lá, instruindo, negociando, influenciando.

Os magi convocam Calibã e perguntam quem são os mortos da San Lorenzo. Descobrem que uns são vampiros velhos, e outros são simplesmente servos dos vampiros (mortos serviçais). Descobrem também que o ponto fraco do lugar está nas oferenda dos altares feitos de ossos. Se os altares forem destruídos, os vampiros perdem a força.

Abdul, Aurora e Pietro decidem fazer um ritual conjunto para visualizar o presente na catacumba.  Através de magia, conseguem adentrar na catacumba, veem vários altares feitos com ossos, e um altar central onde a onça está sendo materializada através de hóstias e vinho consagrado, num ritual de missa negra. Aurora tenta destruir as hóstias para impedir a materialização da onça, mas não consegue, então, os ossos começam a ganhar vida e se interpõe entre os magi e o portal mágico. Pietro grita e é tragado por um espírito que entra pela sua boca. Seu corpo tomba. Aurora consegue voltar ao seu corpo na Santa Croce e encontra o corpo de Pietro desfalecido e o de Abdul se debatendo e suando. Abdul também é tragado e seu corpo aparenta não ter mais vida. Aurora se vê só e completamente desolada. Entra em meditação e dialoga com Gaia.

Após a meditação, Aurora encontra Arturo e lhe conta o que aconteceu. Em contra partida, Arturo a informa que Svetlana e Heráclito foram para o norte da cidade tentar combater a onça.  Arturo convoca novamente Calibã e pede que ele procure por Abdul e Pietro no mundo dos espíritos. Convoca também Ariel  e pede que ele procure qualquer um dos cavaleiros, e que não deixe o cray desprotegido; e aconselha Aurora a descansar. Ambos atendem prontamente o pedido de Arturo.

...Há alguns dias, Yun Lee já está em Firenze...

Arturo parte para o Norte e encontra Heráclito e Svetlana. Ambos começam a combater o ciclo dos rancorosos e iracundos do inferno. A batalha é pesada, e eles recebem a ajuda inesperada de Yun, um Akasha recém chegado na cidade e desconhecido pelos magi. Yun fica chocado com a cena que presencia. Participam também da batalha a Ordem da Razão e o Nefando. O Akasha tenta alcançar Arturo, mas recebe um soco de um iracundo e é pego ao tentar usar magia. Arturo lança raios e os iracundos caem. Os maçônicos prendem a onça, que começa a queimar. Um padre chama a atenção do nefandos e rancorosos surgem.

Yun ataca os rancorosos. Pede que Arturo coloque chama em suas mãos; juntos, eles explodem os rancorosos com bolas de fogo. Enquanto isso, a Ordem da Razão tenta destruir a onça. Surgem mais cinco rancorosos. 

Yun vai ao encontro do Nefando para tentar destruí-lo, pula e com a ajuda de Arturo acerta um soco certeiro. O padre direciona o ostensório para a onça e ela começa a derreter. O nefando se joga no lago do círculo do inferno e foge. O inferno desaparece e todos estão de volta ao posto dos milicianos.

Abdul e Pietro acordam e estão sentados à mesa, como crianças. Observam uma mulher mexendo um caldeirão, dizendo que eles precisam se alimentar. O rosto da mulher se transforma em uma caveira e ela enfia colheradas na boca dos magi dizendo que estão devorando suas lembranças que devem ser esquecidas, e que assim eles morrerão. A mulher oferece a Abdul sua cimitarra. Ele a pega e ao tentar decapitar a cozinheira, sua mão é fundida na espada. Pietro bate no prato de Abdul derramando as lembranças no chão, por isso, ele é aprisionado na cadeira. Abdul bate na mesa, e se funde a ela. Abdul começa a chamar pelo Anjo Gabriel.

Pietro ouve a voz de Maria Madalena que lhe oferece uma chance de dizer uma frase para ela mesma, quando voltava de sua viagem espiritual com Ramadelli. Eleonora então diz: "os mortos devem ser combatidos ao vivo". Assim,  Pietro, Abdul e Aurora voltam no momento em que observam a missa negra e Pietro impede que Aurora lance a magia para destruir as hóstias. Com isso, Pietro e Abdul não são tragados para o mundo dos mortos e o encontro entre Aurora e Gaia não passou de um sonho.

Com isso, os magi decidem ir à catacumba de San Lorenzo. Aurora cria magicamente um arco com 05 flechas e uma cimitarra para Abdul. Pietro, usando a mesa de carvalho de Arturo, constrói estacas e pede a Aurora bolas de fogo grego. Aurora lhe entrega duas bolas. Os magi conseguem cavalos com os Franciscanos e saem do cray por volta de 01:00 am. 

Abdul, Aurora e Pietro chegam a igreja de San Lorenzo. Eleonora abre a porta. Os magi entram e percebem a presença de entidades sobrenaturais, fantasmas, que estão assustados com a presença deles. Ao se aproximarem do altar os magi veem 03 figuras: um unseelie dois homens munidos com espadas. Um diálogo é iniciado. O unseelie e os homens partem para cima dos magi. Aurora prende os pés de um deles no chão. Eleonora se esquiva de um ataque. Abdul usa mente e coloca o unseelie contra o humano mais frágil. Aurora derruba um lustre do teto e todos se esquivam. Eleonora desaparece por um momento e volta, colocando medo no humano perseguido pelo unseelie. Enquanto isso, Abdul, valendo-se de seus poderes de sobre o "Espaço", teletransporta uma flecha de Aurora que transpassa o olho desse mesmo homem, que urra de dor e desespero. Aurora retorce os ferros do lustre e o faz penetrar no outro homem, que lança sua espada deixando Aurora ferida gravemente.

Eleonora tenta entrar na catacumba, mas se sente fraca e cai. Aurora também cai e a espada afunda em seu ombro. Abdul com sua espada decapita o agressor de Aurora. Eleonora persiste e inicia a descida das escadas da catacumba, onde observa as estátuas de ossos. Ela é percebida pelo homem que estava realizando a missa negra. O homem manda Eleonora chamar os outros magi. 

Enquanto isso, Aurora tenta se curar, mas desfalece. Abdul tenta intimidar o unseelie e Eleonora chega, pedindo que Abdul transporte Aurora para o cray, que assim o faz após verificar que o ferimento não é mortal. Ele e Eleonora entram na câmara e iniciam uma conversa sobre Dante, Aristóteles e o inferno,  com Giuseppe, um vampiro capadócio de 5a. geração. Este revela que através de um ritual de magia negra, conseguiu escravizar o espírito da onça porque, como herético, seria tragado para o 6o. círculo do inferno, juntamente com seus parentes que se encontram no purgatório.

Depois da conversa, Giuseppe permite aos magi irem embora, mas não sem antes um tenso diálogo cheio de ameaças e tentativas de intimida-los.  Abdul e Eleonora, então, retornam ao cray.  


Um comentário:

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Oi Fabiana,

Legal o resumo da sessão.
A chapa tá quente... Hehehe

Agora estou confuso, lutaremos contra o 7o. ou 8o. círculo?

Hugo Marcelo