26 de agosto de 2010

Sessão de jogo 21/08/10 (outubro de 1404).


Após o ritual realizado por Pietro e a visão de Dante Alighieri, Arturo, Aurora e Abdul novamente se colocam em dúvida sobre o significado da visão da onça, do leão e da loba. Logo após o ritual, Eleonora tomba desfalecida, unindo-se ao adormecido Heráclito na clausura dos franciscanos.

Em seguida, Abdul tenta entrar na mente de Pietro, e através de magia, percorre o ambiente tenebroso do inferno, encontrando o palácio dos sábio, dialogando com um sábio de Atenas, para em seguida encontrar Minos próximo do portão do inferno, escolhendo para que círculos os condenados se encaminham. Logo depois é expulso da mente de Pietro.

Aurora por sua vez, convoca Gustav através de Ariel. Ao chegar, o mestre solificati liberta Abdul do trauma do inferno, e também sereniza a face de Pietro, embora este ainda fique adormecido. Também desperta Heráclito, e explica a Aurora que os cavaleiros de Florença estão em missão em terras distantes, devido a uma grande movimentação de magos que agita todo o continente, mas que estão em alerta e atentos ao Cray e a cabala da Santa Croce.

Ao despertar, Heráclito entra em contato com o cray Labirinto do Touro, em Creta. Perguntando sobre a maldição de Dante, descobre que o poeta era um mago de caráter único, tendo conseguido encontrar a ascensão depois de muitas dores. Ao meditar com seu daemon, descobre que Dante esteve de fato no inferno, e conseguiu escapar. Porém, enquanto foi expulso de Florença, lançou uma maldição poderosa contra a cidade. Sabe que as três feras simbolizam características da humanidade. Junto ao cray do Labirinto do touro, sabe que o livro, Arte Poética, de Aristóteles, é procurado pela Ordem da Razão como meio para encontrar a decifração da Divina Comédia e cancelar a maldição.

Aurora e Abdul também meditam com seus daemons, Gaia e anjo Gabriel, mas nada encontram de novidade sobre Dante e a maldição de Florença. Aurora, através dos contatos dos franciscanos com os beneditinos, e através do uso de magia, consegue encontrar uma cópia do livro do inferno, da Comédia de Dante, na biblioteca da Badia Fiorentina. Ao entrar nessa biblioteca disfarçada de frade franciscano, Aurora consegue encontrar o livro e produz magicamente uma cópia, rouba da Badia Fiorentina o livro, deixando sua cópia mágica em substituição.

Aurora e Abdul contam para Heráclito da batalha que tiveram, há três anos justamente na Badia Fiorentina, com o nephandus Petronius, que somente com a ajuda da Ordem da razão conseguiram expulsar o demônio que o nephandus servia.

O que os magi sabem é que Dante Alighieri, magus, invocou uma maldição sobre Florença, algo relacionando com o inferno e os nephandi. Essa maldição está relacionada com a visão das três feras sobre Florença: a onça, o leão e a loba, que simbolizam traços da humanidade, e que muitas das respostas sobre a maldição estão no escrito do Inferno da Divina Comédia dantesca.

Ao mesmo tempo, na região central da cidade, uma jovem recém-desperta magus, originada da Lituânia, da cidade de Kupala Alka, enviada pela capela submersa de Eska, é enviada para a missão de encontrar aqueles que esperam a vinda do profeta Sh´zar. Plena de sensualidade, a jovem de 15 anos, filha de rico comerciante, com um palacete em Florença, é convidada para uma festa particular na taverna Domus. De maneira intrigante, o convite é enviado a sua casa.

Desconfiada, a jovem usa de astúcia e magia para descobrir de onde vem a mensagem. Mas longe da cidade, sabendo que a magia é vigiada pela Ordem da Razão, descobre apenas que estava sendo vigiada ao usar sua magia e, sem identificar mais nada, que da carta emana uma forte fonte do mal.



Um comentário:

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Grande Diego,

Que sessão de jogo densa... Vai entrando em cena uma verbena... Bacana!!!

Welcome back Camila...

Hugo Marcelo