13 de julho de 2012

Destilação

- Aurora, já não está tarde para brincar com esses seus cadinhos? - Diz Arturo, entrando em uma das portas do guarda-roupas em seu quarto, no Palácio Médici-Ricardi.

- Arturo, venha provar!

- O que é isso, Aurora?

Arturo desce os quatro degraus que levam para dentro da sala de experimentos de Aurora, observa usa esposa demasiadamente sorridente, com as bochechas rosadas, e estranha seu estado de espírito atipicamente elevado. 


- Estou trabalhando em um novo experimento, coisas que li em livros de alguns antigos alquimistas, diz Aurora entusiasmada.

- Ah é... E do que se trata?

- Trata-se, meu querido, da matéria mais sutil que eu, ou qualquer outro, poderia produzir: um material incorruptível. Prove, e poderá alcançar o céu.

- Aurora, Aurora, da última vez que me fez provar alguma coisa fui obrigado a ficar alguns dias sem sair de casa, lembra-se?

- Como poderia esquecer, não sabia nem o que dizer às crianças... mas... agora é diferente! Eu mesma já experimentei... algumas doses... 

- Estou vendo... E como se chama essa substância tão... sublime?

- Alguns chamam de aqua ardens, outros de aqua vitae, outros ainda de espírito do vinho...

- Hum... e como conseguiu obter essa.. água sagrada? 

- De laboriosas destilações, meu caro... o que acha que estou fazendo há horas, aqui embaixo? Colhi algumas ervas cuidadosamente escolhidas de meu herbário, macerei-as e pacientemente as submeti à sucessivas destilações. E então, vai ou não experimentar?

- Humm... está certo... dê-me um pouco...

Aurora pega um pequeno recipiente de cobre, deixa que goteje um pouco do líquido que escorre de seu destilador e oferece a Arturo que aceita desconfiadamente, porém leva a boca.

- Devagar, Arturo, deguste, não tenha pressa... E então?

- Dessa vez, minha querida, você se superou. O gosto não parece muito claro, mas o efeito... sinto queimar minha língua, minha garganta e as maçãs de meu rosto... 

- Pois bem... mais uma prova?

- Claro, como poderia recusar? Você tinha razão, fui eu quem subi, ou o céu que desceu? Não está quente, aqui? 

- Vá com calma Arturo, não queremos acordar as crianças....





4 comentários:

dklautau disse...

Cadinhos!!!
Isso me parece tão familiar!
Daqui a pouco a Fabi vai começar a fazer bebida aqui em casa...

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Muito bacana esta postagem...
Poderíamos oferecer este "licor mágico" a alguns adormecidos em troca de sua lealdade... Heheheh

Hugo Marcelo

Camila Numa disse...

Gente, esse mês de julho fez o povo trabalhar...
^^

Camila Numa disse...

Fabi, ambiente meio familiar para mim!
hahahahahaha