18 de março de 2012

Sessão de jogo 19/02/2012 (janeiro de 1417).


         Alguns dias após a captura de Iorak, Heráclito consegue retirar a Coroa de Carlos Magno do incarna da Wyrm, preservando mais uma relíquia dos nove heróis que são procuradas pelos dedaleanos. Com Svetlana distante do Cray, o chackravanti permanece cada vez mais em seu reino espiritual, seja domando Iorak ou traçando planos de batalha com seus exércitos. Ao mesmo tempo Aurora, Abdul e Arthuro se preparam para a chegada do Papa João XXIII, oriundo de Pisa.

           No dia da chegada do Pontífice, Aurora recebe Cosmo de Médici que anuncia ter capturado um vampiro com ajuda de um monge de hábito negro, velho conhecido dos magi. Ao interrogarem o cainita Abdul e Aurora descobrem que se trata de um vampiro infernalista, da facção ligada a Petronius e Salomé. Ao invadir a mente do vampiro Abdul descobre que as relíquias buscadas pelos dedaleanos servem para construir um gigantesco exordaemon que pretende destruir todos os possíveis magi de Florença, e que os planos dos infernalistas era de corromper o maquinário, alterar sua configuração para, em vez de destruir os daemons, transformar todos os magi em nephandus.

      Nesse momento, chega um sluagh que avisa que a rainha Ar-Lohan foi morta no balefire da Santíssima Anunziata e que a espada de Artur fora roubada. Os feéricos estavam em polvorosa e muitos já tinham abandonado o santuário. Iatus, o troll, estava no comando mas avisava que todas as proteções dos magi tinham sido retiradas e que os feéricos estavam isolados em seu próprio desafio.

           Imediatamente Abdul, enquanto arquimago do espaço, consegue transportar todo o seu palácio com todos os seus familiares para Damasco, onde seus irmãos batini se encarregariam de proteger a família. Por outro lado Aurora traz seus filhos para o domínio espiritual de Gustav, tecendo magias para sua proteção. 

           Com a chegada do Papa, Aurora e Arturo se deslocam para a catedral enquanto Abdul busca descobrir mais informações sobre o gigantesco exordaemon. O batini descobre que os dedaleanos estão com cinco relíquias, pois a cabala de aprendizes informa que a harpa de Davi fora apreendida embora tenha descoberto um  plano dos dedaleanos para ativar o maquinário apenas com a maioria das relíquias dos nove heróis. De posse da harpa de Davi, do martelo de Judas Macabeu, da espada de Alexandre, do gládio de Júlio César e da espada de Artur os dedaleanos já podem ativar temporariamente o exordaemon.

        Abdul tenta descobrir as ligações entre o vampiro mestre e os infernalistas mas causa a convocação do próprio Shaitan como expressão do castigo divino. Num combate terrível o ciclope de Hefestos e o próprio Ariel são banidos permanentemente do cray mas conseguem salvar Abdul e a Basílica de Santa Croce. Nesse instante Aurora retorna para o Cray deixando Arthuro como representante dos Médici Riccardi.

            Os aprendizes também revelam que descobriram um plano para executar o papa. Tal plano seria dos próprios infernalistas, que usariam a confusão do assassinato para criar mais desordem e caos para poderem estabilizar seus planos. Após a missa do papa, os magi descobrem um antigo ritual que possibilita reverter e anular o ataque do exordaemon através das quatro relíquias restantes: o cajado de Josué, o escudo de Heitor e a coroa de Carlos Magno estavam em sua posse, porém faltava a relíquia de Godofredo. 

         Numa tensão extrema os magi percebem que o ataque ao Papa acontece na própria Catedral, em seus aposentos. Os dedaleanos tentam impedir Salomé e seus demônios mas são derrotados, restando somente Arturo isolado. Aurora, audaciosamente e magnânima como uma arquimaga Médici, consegue usar a carruagem de fogo de Elias, o tesouro de Madre Sílvia, e resgata tanto o hermético quanto o papa, trazendo-os para o cray. 

         Nesse momento os dedaleanos decidem ativar o exordaemon com o intuito de aniquiliar os daemons dos magi de Florença e acabar com sua resistência, assim o próprio Heráclito decide iniciar a batalha espiritual, atacando com todos os seus exércitos o centro do poder dedaleano na penumbra. O confronto é terrível e Abdul consegue, com todo seu poder, simplesmente destruir o batistério, onde estava localizado fisicamente o maquinário. No entanto isso apenas atrasa o efeito do exordaemon e a batalha espiritual permanece terrível, com Heráclito à frente.

       Através da magia, os magi descobrem que a última relíquia está com o Papa, agora já no Cray. Baldassare Cosa revela que seu báculo, seu cajado, na verdade é a Lança do Destino, a lança de Longino, o legionário romano que atravessou o corpo de Cristo em seus momentos finais. Em seus tempos de corsário, o Papa conseguiu roubar a lança de um navio templário em fuga para França. Esse foi o início de sua conversão e após narrar sua história entrega a lança para Aurora.

      O ritual de inversão se inicia da Basílica de Santa Croce. A cabala dos aprendizes é chamada para ajudar, porém as tropas da Ordem da Razão iniciam um ataque pelo plano físico, restando somente Arturo para lhes dar combate. Tudo parecia perdido até que Svetlana surge com matilhas de garou para defende o Cray, dando tempo para que o ritual se encerre.

      Depois de momentos excruciantes o ritual parece funcionar até que Dilawar é morto traiçoeiramente por Petronius, o nephandus, que invade o cray com o objetivo de impedir o ritual. Após um combate mágico atroz com Aurora e Abdul, o ritual é mantido e o infernalista ferido parece conseguir escapar como tantas outras vezes, apenas para ser dilacerado no último instante antes de atravessar o portal por Svetlana em forma de mulher-águia.

          Com o ritual realizado por Aurora e os magos aprendizes, os dedaleanos são derrotados tanto no plano material por Arturo e Svetlana, juntamente com os garou, quanto no plano espiritual com os exércitos de Heráclito, que consegue liberar Nimphalax e Iorak contra as defesas da Ordem da Razão.  O golpe de misericórdia é dado por Abdul Haseeb que implode o Campanário de Giotto e o Batistério de Florença. Os dedaleanos sobreviventes fogem e se escondem, assim como Salomé e seus asseclas infernalistas.

         Após a batalha, a cabala da Santa Croce caminha pelo centro de Florença, pela primeira vez sem a preocupação de serem observados pela Ordem da Razão. Entregam o Papa de volta para o inquisidor Antonino e para o bispo Ramirez e contemplam o por do sol na cidade que pela primeira vez podem chamar inteiramente de sua. Ao anoitecer, os cinco se reúnem uma última vez, sendo que Heráclito avisa que se dedicará ao seu domínio espiritual e Svetlana voltará para Eska, como aliada e rainha entre os garou. Os três restantes se incubem de ficar e organizar a cidade para a época conclamada pelas profecias de Shzar, triunfantes nessa grande batalha na "Cruzada dos Feiticeiros".


6 comentários:

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Grande Diego,

Nossa crônica tá demais.
Estou absolutamente impressionado com a interação entre os mundos: Dedaleanos, Garou, Fadas, vampiros e magos.

Tem uma complexidade maravilhosa.

Um grande abraço,

Hugo Marcelo
P.S. E também Infernalistas. Estou com saudades da Salomé!!

Paixão disse...

Ainda exestem grupos jogando?! MASSA!

Sou do Ceará e estou com um grupo, começamos a mais ou menos um mês.

Grupo formado por Verbena, Eutanato (com amnesia), Akasha, Hermético e Orfã.

Seria massa trocar ideias.
MSN: plusfera@hotmail.com

Abraços

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Opa,

Que legal saber que tem mais gente jogando mago!
Se vocês optarem por registrar seu jogo em um BLOG, por favor nos envie o link.

Um grande abraço,

Hugo Marcelo

Paixão disse...

Pode deixar, conversarei com o pessoal. Todo mundo tá lotado de coisas pra fazer (trabalho ou faculdade), mas acredito que dê pra registrar sim algumas coisas! Té mais!

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Opa,

Que bacana!

Hugo Marcelo

dklautau disse...

Salve dr. De fato essa crônica está cada vez mais elaborada. Uma homenagem e uma dádiva! A generosidade de todos nós permeando uma boa narrativa!