8 de abril de 2011

Sessão 03.02.2011 – Parte 3 (2-Nov-1.404)

   

Assim que os magos deixam o oitavo círculo, eis que se defrontam com um fosso guardado por três gigantes que questionam a intenção dos magos. Estes respondem que estão em uma jornada rumo ao 9o. Círculo do inferno. O Gigante, em tom de voz irônico e sádico, profetiza sobre o mal que se depararão. Em seguida carrega os magos até o fundo daquele fosso.



Caína

Um pouco adiante, alcançaram o Cócito, um lago congelado formado pelas águas dos rios do inferno e pelas lágrimas das almas atormentadas nos círculos anteriores. Neste lago, os traidores de seus parentes estão submersos, tendo apenas a parte superior do tórax e a cabeça para fora.

Svetlana cria uma bola de fogo a aproximadamente 2m de altura para aquecer os magos. Curiosamente o calor não se propagava até as almas atormentadas pelo gelo.


Antenora

Alguns kilômetros a frente, a “Cabala de Florença” se depara com uma multidão de almas imersas no lago congelado até o pescoço, castigo infringido para aqueles que em vida traíram sua pátria ou partido político.


Ptoloméia ou Toloméia

Os magi continuam sua jornada e então encontram inúmeras pessoas enterradas no gelo, agora apenas com o rosto para fora, de modo que quando choram suas lágrimas quase instantaneamente se congelam, cobrindo os olhos. Este é o castigo para aqueles que em vida traíram seus hóspedes.


Judeca

Um tenebroso vento gelado começou a soprar à medida que os magos se aprofundavam no inferno. Ao olharem no chão viam completamente submersas as almas daqueles que em vida traíram seus bem feitores. Algumas estavam de pé, outras de ponta à cabeça, outras em sentido transversal. Ao longe, puderam ver o que parecia ser a origem daquele vento miserável.


Dite

Ao se aproximarem daquela estranha estrutura, ficaram tão aterrorizados que tiveram dúvidas se estavam vivos, ou se estavam mortos. Coisa tão pavorosa não pôde ser documentada. Abdul, quando em vida, nunca tocou no assunto e ficava profundamente desgostoso quando alguém lhe perguntava “o que ocorreu em Dite?”. Aurora Médici cita esta experiência em um documento da Santa Croce, mas há muito este manuscrito foi perdido. Dizem que um piedoso Franciscano ficou tão apavorado quando o leu, que o queimou. Svetlana uma única vez contou os fatos ocorridos para seu aprendiz verbena, mas exigiu sigilo absoluto. O pouco que sabemos é a história contada por Heráclito de Creta imediatamente antes de sua desencarnação.


Os magos então viram um gigante alado e perguntaram para Heráclito o que era aquilo. Ele então declama textualmente o que escrevera Dante: 

Vi aquele gigante submerso no gelo, despontando seu corpo do peito para cima. Só o seu braço tinha o tamanho de um daqueles gigantes que encontramos na entrada do lago. Fiquei mais assombrado ainda quando vi que três caras ele tinha na sua cabeça. Toda vermelha era a da frente. A da direita era amarela e a da esquerda negra. Acompanhava cada uma, um par de asas como as de morcego (eu nunca vi um navio com velas tão grandes). E ele as abanava, produzindo três ventos delas resultantes. Era esse vento que congelava as águas do Cócito. Ele chorava por seis olhos e dos três queixos caía uma sangrenta baba que pingava junto com as lágrimas. Em cada boca ele moía um pecador. O da frente ele mordia mais rapidamente que os outros. Cada ceifada lhe arrancava a pele inteira. (Inferno, Canto XXXIV).

Os magi ficam se entreolhando, sem saber ao certo o que fazer. Abdul resolve tentar se comunicar com a criatura, mas quando se aproximava, foi como se entrasse em contato com todo o ódio existente, com todo o mal do universo. Não suporta, se atira ao chão e chora desesperadamente. Passado alguns minutos se recompõem e tenta meditar com o seu daimon, mas é em vão.

Aurora Médice tenta obter as amostras necessárias da criatura maligna. Valendo-se de sua mágica, consegue se aproximar da criatura e consegue arrancar uma amostra de seu couro, mas não sem graves conseqüências. Ela quase enlouquece, sendo restabelecida por uma magia conjunta realizada por seus amigos de cabala.

Svetlana se precipita e tenta chamar a atenção da criatura maldita atirando-lhe uma bola de fogo, a qual se estingue muito antes de chegar perto dela.

Então a “Cabala de Florença” tem uma idéia. Tentar invocar Virgílio, o guia de Dante pelo inferno para ajudá-los a cumprir sua missão. Ao realizarem um ritual, eis que um homem vestido como um senador romano aparece e saúda os magos. É Virgílio!

Com sua sabedoria, mostra o caminho a ser seguido pelos magos por detrás da besta abominável, próximo o bastante para colher a saliva de cada cabeça. 

Valendo-se de seus poderes divinos, protege os magos da energia negativa emanada pelo “anjo caído”. Ao coletarem a saliva da criatura, um sentimento de alívio, de senso de dever cumprido toma conta dos corações dos magos e misteriosamente os escapulários se rompem e avistam uma luz. Vão à seu encontro e, quase instantaneamente, retornam ao Cray.


Cray Santa Croce, Firenzi

Assim que os magos se materializam na Santa Croce, a primeira coisa que ouvem é a voz de Arturo Ricardi fazendo piadinhas e cobrando os artefatos infernais recolhidos. Ele informa-os que Eleonora e Madre Silvia estão bem, repousando, e que deveríamos fazer o mesmo.

Heráclito entrega para Arturo os “elementos Luciferianos”. Os magos, exauridos tanto fisicamente quanto magicamente, enfim, descansam...


11 comentários:

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Caros colegas de mesa,

Por favor fiquem a vontade para alterarem/completarem como quiserem.

Eu incorporei alguns elementos na história para dar mais dramaticidade. Caso não concordem, sintam-se livres para alterarem.

Diego, eu propositadamente não escrevi o "desfecho" da história para manter a tensão para o seu epílogo.

Atenciosamente,

Hugo Marcelo

dklautau disse...

Dotô Hugo. De fato nem é necessário um epílogo tal a qualidade do resumo.

Vou fazê-lo porque quer já anunciar alguns elementos do próximo ato, e sintetizar alguns elementos desse.

Agradeço verdadeiramente o empenho de resumir nossa últiam sessão. O tema do inferno é quente mesmo e pode ser causticante.

Abs (são seis pontos).

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Oi Diego,

Inicialmente, gostaria de mais uma vez agradecê-lo por ter preparado esta aventura.

O epílogo é muito importante, não está descrito o desfecho final. A maldição de Dante foi vencida? Florença está livre do mal?

Assim que você postar o epílogo, eu vou postar o primeiro capítulo de "Florença By Night".

Hugo Marcelo

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Nossa, já ia me esquecendo..

SEIS PONTOS!!!!

Viva!!! \o/

dklautau disse...

Pronto, agora que você recolocou suas contirbuições, a postagem ficou completa.

A tensão em relação do encontro dos magi com Dite ficou muito interessante no processo de colocar no futuro as experiências dos magi, como se fossem pesquisas e relatos. Você usou bem recursos para a função do narrador!

O curso valeu !

Fabi Dias disse...

Os seis pontos são porque o mestre agora é pai e ficou com o coração mole!!! rs...

Mas Hugão, os posts ficaram ótimos... só vou dar uma olhada no livro para lembrar em que fosso a Aurora confessou a segunda culpa... aí completo a minha parte!

Bjos

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Oi Fabiana,

Fico feliz que tenha gostado... Obrigado.

Hugo Marcelo
P.S. Se o Diego ficou com o coração mole, então é o momento para eu pedir 6 assamitas... Hehehehe

dklautau disse...

Sem coração mole!!! Nada de seis assamistas!! Três no máximo!!! Contando com o chefão!!

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Diego,

Será que você permitiria 3 Assamitas + 1 Mulher assamita? Não seria interessante uma mulher assamita??

dklautau disse...

que tal então dois assamistas e uma mulher assamita??

Hugo Marcelo Barbosa disse...

E quem seria o chefão???