18 de janeiro de 2011

Svetlana Olen ¥ Cap. 5 - Energia Vital

 
¥ Svetlana Olen ¥ 

"Não cause Dano algum, mas faça como você quiser, é a Lei do Triplo". Sempre elas me repetiam isso, e me relembrava todos os dias, pois nas paredes do nosso Cray, iluminada com o reflexo da água azul, a escritura brilhava.

O sentido desta frase me fazia, por vezes, sentir culpada, obcecada por toda aquela energia que necessitava e que me era destinada pelos deuses. Mas se era divina, por que essa tal Fome seria então má? Se era possivel saciá-la, então só poderia ser considerada uma dádiva!

Pois bem, não danificava nada nem ninguém, então fazia sempre que Ela aparecia. Noite ou dia, cedo ou tarde, procurava em locais, por vezes promiscuo, homens pelo qual era atraída através de cheiro, olhar ou força. 

Minhas saídas eram sempre escondidas e em locais distantes de minha sagrada casa, e por atributos e truques que aprendi com o tempo, nunca fui reconhecida. Era fácil atrair os homens em minha teia quente. As vezes sorria, as vezes só um olhar bastava para tê-los aos meus pés. Saciava minha Fome, meu desejo e a cada aroma que era exalado, sentia Vida, meu corpo respondia a toda aquela troca de energia.

Meu corpo fino, dançava sobre os rios de transpiração que naqueles momentos emitia-se. Palhetas de beijos iam aumento a cada primavera passada em minha vida, fazendo me sentir capaz de desenhar com a ponta de meus dedos com todas as cores que formava-se ao meu redor. Era pesado e leve ao mesmo tempo, a overdose de doçura dos corpos tinha um gosto doce e metálico, energizando a minha alma. A Fome se calava após tantos ciclones sentidos dentro de mim.

Costumava ir ao primeiro adormecer logo após as trocas de comunicação das almas. Pobres Não Despertos que ali pareciam homens mais magros e cansados pelo tempo que passaram enroscados junto a mim.

Essa Fome me consumia cada vez mais e com isso, a cada fartura realizada, me sentia mais forte. Meus cabelos cresciam toda a semana mais de um palmo, minha pele mais alva e macia do que nunca. Percebia todo o bem que a troca de sentimentos e desejos representavam para o meu corpo.

De qualquer forma, Sra. Ausra sempre me pedia calma. Dizia que me era “especial” tudo o que me acontecia, e que teria de ser estudado. 

“É a paixão Sra. Ausra! Meu corpo responde aquilo que há de belo e vivo em mim!”.
Ela tinha na verdade, preocupações mais importantes, do que apenas cuidar de um libido de uma Nova Desperta...

Eu os amava, cada um que me saciou, me fez sentir especial e ficar anestesiada . Conseguia enxergá-los como se houvesse uma ascensão de seus corpos, uma força que se dirigia até a mim. Meu sangue pulsava com prazer, minha pele se ouriçava, minhas pupilas se dilatam a cada respiração que roubava. Ao meu redor as cores viravam sangue e sentia pequenas faíscas se transformando em relâmpagos. Naquele momento, aquela pessoa ao meu lado me pertencia. E eu a ela. A vida era representada pelo calor e a imensa bola dourada que expelia de meu corpo... eu o sulgava até o seu suspiro de prazer, que me era revertido em mais prazer...

Nirvana de Svetlana

Por vezes, Freia me observada e sentindo, provavelmente a mesma sede e vontade que eu sentia. Mas sua dor era representava pelas lágrimas que viravam pérolas em seu pescoço ao lembrar do seu Amor e seu Desejo. 

As vezes o Amor pode ser mal, mas para mim, ele só trouxe a vida e a felicidade.


5 comentários:

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Grande Camila,

Muito legal este texto.
Aos poucos estou percebendo que o Mago precisa de algo que o conecte com o transcendente. É o Sufismo pro Abdul, o Dô pro Lee e sexualidade pra Svetlana..

Acho que não entendi bem o que é a "Lei do Triplo".

Camila Thiemy Dias Numazawa disse...

Ei Hugão, tá dificil de te acompanhar nos textos hein?
hehehehehe
Acho que descobrimos um gd escritor no nosso meio!
A lei do Triplo vai ser escrita no capitulo 7 ou 8. Não lembro bem...
=P
O Sufismo do Abdul é mt bom.
Louca pra voltar logo a jogar...
=*

dklautau disse...

D. Camila!
Saúdo o novo texto de Svetlana. Intenso e vivo, como uma dança druidísca e pulsante.
A formação da Verbena está se consolidando como expressão de vida e vontade em Florença. Essa redescoberta da sensualidade e da humanidade coincide com o Renascimento que se anucia. Quem sabe Svetlana não foi inspiraçãod e Rafael ou Donatelo?
Abs!

Hugo Marcelo Barbosa disse...

O comentário do Diego me lembrou a Monalisa e seu sorriso enigmático...

Hugo Marcelo

Camila Thiemy Dias Numazawa disse...

quem precisa de mais pessoas aqui nesse blog? Fala sério, vocês agitam!
hahahahahahahahahaha
=*