19 de janeiro de 2011

Svetlana Olen ¥ Cap. 6 – Iniciação

¥ Svetlana Olen ¥ 

Havia chegado mais uma primavera. As folhas das árvores já brotavam no claro dia de maio. Haveria um encontro nos próximos dias: A festa da primavera. Senhora Ausra parecia muito preocupada com a responsabilidade que teria de ter com cada elemento a ser levado, incluindo as oferendas que teriam de ser feita, já que desta vez, se realizaria no nosso Cray.
A verdade era que nunca tinha participado de algo tão grandioso e com a importância de ser apresentada a todos os Despertos dos países nórdicos. Seria então a primeira vez que me seria permitido compreender e me deixar usufruir de toda aquela energia armazenada em mim.

Ramus¹ voltara depois de um longo tempo sem vê-lo. Aparentava estar mais magro, mas a maciez de seu pêlo ainda era a mesma. Ele me reconheceu e me fez saudá-lo com um forte abraço após a lambida quente e úmida em meu rosto. Sra Ausra ficou muito alegre ao revê-lo, agradecendo-o pela gentileza de ter enviado a cada convidado, sua mensagem.
Ele estava faminto e então comemos no chão, lado a lado, um coelho que Vitalija havia dado para me alimentar mais tarde. Seu pêlo branco agora estava manchado de sangue e seus olhos agradeciam o feito. Naquela tarde, permaneci no Cray, ajudando a organizar o salão, bem como a entrada. Ramus estava ao meu lado até ir para a entrada e se deitar.
Nos dias que seguiram até a véspera do evento, nada de diferente acontecia. Somente o aumento de pessoas no nosso vilarejo, que por causa também de datas festivas de certas religiões dos Não Despertos, causavam uma maior movimentação.
Chegada da Primavera
Meu pai já compreendia o fato de eu me sentir mais confortável nos braços da “Velha” Ausra do que na companhia de empregados em casa. Ele estava praticamente cada vez mais ausente de casa e preferiria eu estar amorosamente confortável. Até um dia cogitei a possibilidade deles um dia se unirem, sem é claro que a Sra. Ausra perdesse o contato com os homens Despertos, pois é totalmente compreensível. Mas como meu pai andava muito solitário, de nada adiantaria se não pudesse viajar com ele. Então logo esqueci essa idéia louca...
Chegou enfim o grande dia. Alguns chegavam de barco, outros por dentro da floresta e tinha mesmo alguns que chegavam com grandes asas voando como águias. Os que saiam do mato cantavam e de certa forma, plantas com espinhos e trepadeiras respondiam fazendo uma grande muralha de proteção, isolando a área. Cheguei a ver outros animais como lobos (não tão grandes e fortes como Ramus), serpentes e ursos se transformando em Magos. Isso tudo era incrível!
Quando todos estavam lá, se alinharam como em uma marcha na praia. Ramus estava do meu lado lambendo a minha mão carinhosamente. Pouco a pouco, um a um foi entrando na água do mar, até a entrada do Cray que estava com um perfume estonteante e todo florido com flores jamais vistas.
Fizeram inicialmente uma reunião de 12 pessoas, cujo Sra. Ausra e Vitalija estiveram presente. Ao sair apresentaram um Nendriné Rupuze² que anuncia então a primavera chegando. Aquele senhor alvo e magro espremera em sua mão, fazendo sua pele florir de sangue e passara em seu rosto. Tochas foram acessas e danças foram sentidas. Sra. Ausra vindo em minha direção, banhou a minha cabeça com um líquido roxo viscoso e espalhou pétalas de flores recém colhidas em meu corpo. Me fez beber sangue que suavemente escorreu pela lateral de minha boca. Todos dançavam e riam ao fato...
Aquele senhor me beijou docemente na boca e me fez ascender um fogo interno. Celebrei com todos, e o odor de erva-de-fígado foi aumentando... de meus poros começaram a sair sangue que fora bebido pelos 12 senhores que me circundavam.
Tive desejo por aquele senhor e nos relacionamos na frente de todos de forma limpa e com amor. Não simbolizava algo carnal, mas algo de puro e alma... minha absorção de energia foi suprema. Sua aparência ficava cada vez mais envelhecida e fraca, mas ele continuava a sorrir.
Ao final, me olhando, ele disse: “Você tem o dom natural de “Ardente Desejo³”. Será capaz de preencher seus oponentes e vitimas com uma insaciável libido. Mas cuidado, ou ele tomará conta de você".
Ao se virar, o Mago que antes aparentava agora idade de quase 45 anos, se virou e já lembrava aquele Desperto que me entreguei na noite que foi tomada pela luz solar... Senti Amor.
A festa continuou com muitas flores, danças até o amanhecer. Quando os primeiros raios laranjas rebateram no orifício do altar, todos subiram para o agradecimento final. Fui a responsável pelo sacrifício de um urso que ali estava, ainda sonolento depois de tantos tempo dormindo, com a sua pelagem misturada com a areia, amarrado. Minha natureza selvagem se aproximou, e sem nenhuma pena, enfiei o a faca e abri seu peito sem grandes dificuldades... Me encontrei ensangüentada e evoluída.

¹Ramus: Lobo que acompanha Sra. Ausra e que esteve presente no primeiro encontro com a Maga.
²Nendriné Rupuze: Sapo encontrado na Lituânia.
³Desejo Ardente: Este efeito é usado pelos Verbenas para preencher suas vítimas com um insaciável desejo sexual, pode ser direcionada para o mago ou para qualquer outro.
Sistema = uma mágika de ataque tendo sucesso poderá controlar a pessoa ou inimigo, deixar um inimigo amigo, seduzir, atrair, fazer ele enlouquecer com um forte e inexplicável desejo sexual (usar a imaginação, pois é uma mágika tirada da mesa, muito construtiva).

6 comentários:

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Grande Camila,

Muito legal esta postagem, vc tá trabalhando bem com o esteriótipo da bruxa pagã medieval.

De onde vc tirou estas magias? Do livro das Verbenas?

Um grande abraço,

Hugo Marcelo

dklautau disse...

Ineteressante esse ardente deseho. Vamos ver como Svetlana irá usá-lo!
A harmonia entre primavera e o despertar de Svetana foi bonito. Pelo ritmo do prelúdio, fico imaginando o tamnho do trauma e da crise que a Svetlana passou na mão do nephandus. Até eu fiquei com raiva dele!

Camila Thiemy Dias Numazawa disse...

Oi Hugão, tem um livro só sobre Verbena, acho que é o mesmo que estamos falando!
Ele tem uns, depois achei outros em site e outros que eu mesma estou inventando na medida do possivel, já que tenho NPC muito velhos e fortes!
hehehehehehe
Valeu Hugo! Teu elogios só me inspiram vindo do nosso maior escritor!
=D

Camila Thiemy Dias Numazawa disse...

Pô Diego, nem sabes que eu descobri... na verdade talvez tu já até saibas!

Tava pesquisando pra fazer o meu capítulo q o safado vai me pegar...
(pra n falar outras coisas)

Vampiros e Verbena: O lado ruim é que seu sangue é particularmente gostoso à vampiros e é duas vezes mais potente que a da maioria dos mortais. Vampiros têm nomes para pessoas como você - "Cornucópia," "Grande Gole" ou simplesmente "Meu!".

SOCORRO!

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Grande Camila,

A descrição das "magias" e aforma como vão sendo "costuradas" ao personagem está digno de uma autora profissional... Gostei muito!

Hugo Marcelo

Camila Numa disse...

#Vermelha!
Mas olha só, nosso mais produtivo escritor me elogiando!
Fico feliz!
Valeu Hugão!