30 de outubro de 2012

Resposta à Epístola de Abdul



Konstantinopla, janeiro de 1.417.





          Em nome de Allah, o clemente, o misericordioso.

Caríssimo Abdul Haseeb Muhammad Abn Abdulaziz,



  
Que a paz de Allah (swt) esteja sobre você e lhe conceda vida longa e próspera.

Agora a pouco me reuni com os Assamitas. Para mim foi uma grande alegria recordar aqueles dias maravilhosos que passei em Florença. Também conversamos sobre a realidade dos cainitas no ocidente. É algo realmente preocupante. Reenvia-los discretamente para Konstantinopla me pareceu a melhor opção. Sua reputação assombrará os vampiros de Florença por muito tempo, disso tenho certeza.

Com relação aos seus erros em batalha, saiba que é próprio dos grandes guerreiros cometerem grandes erros. O importante é aprender com eles. O próprio Saladino, apesar de seus numerosos erros, logrou importantes vitórias e escreveu seu nome na história. Talvez a persistência seja apanágio dos Grandes.

Com relação a mu’jiza* que aparentemente não atendeu suas expectativas, sugiro que se tranquilize. Acredite, o fato de ter sobrevivido se deve a benevolência de Allah(swt) e não à sua ira. Logo, não se martirize. Com relação ao banimento do espírito protetor do cray Santa Croce, acho que tenho uma solução bastante adequada. O cray Ahl-i-Batin de Kostantinopla se sentirá honrado em ceder os espíritos de Godofredo e Hugo de Montbard, dois valentes cruzados que pereceram em combate, para a defesa de Santa Croce. Tenho certeza que serão de grande valia para um cray estabelecido numa igreja católica ocidental.

Na minha experiência, quanto mais poderoso é o Batini, mais terríveis são as consequências de falhas em mu’jizas. Sei exatamente do que você precisa. Se lembra da formosa Bibiana**? Vou enviá-la para você assim que possível.

Desculpe-me se não me delongo, estou me preparando para uma importante missão em Damasco.

Que Allah(swt) o proteja,

Imam Jafar
  
  
___________________________
   
*Termo usado pelos Batini para denominar "efeito milagroso", ou mágico.

**Um camelo fêmea muito famoso entre os Batini por sua desenvoltura, velocidade e  por ser um familiar muito "genioso". Costuma identificar "inimigos" e apontá-los com uma generosa cuspida.
   
  
   
    
  





2 comentários:

dklautau disse...

Aê!! Agora Constantinopla mostrou ao que veio!!! Coisa braba! Dois espíritos protetores e um familiar!
Mas vai ter que ter Quest pra isso, ah vai!

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Ok, que venha a Quest.
Abdul dá conta do recado!!!