27 de março de 2012

Svetlana Olen ¥ Cap. 40 – Fogo

Meditação Svetlana: treino controle do fogo.
  

Fogo. 

Foi observando Arturo que este elemento me chamou atenção. Diria até ter me chamado para conhecê-lo.

Em momentos de raiva, fico mais avermelhada do que deveria-se.

Meu pai por vezes diz que estou com febre ao me aproximar dele. Fui em vários médicos e fingi tomar vários de seus medicamentos.

Uma noite, olhando para minha mão, deitada em minha cama, senti uma coceira que foi crescendo até se tornar uma ardência. Tentava colocar água, mas de nada bastava. Ela evaporava na mesma hora. Ao fixar um ponto em minha mão, percebi que havia uma bolinha muito pequena que se transformou em faísca e que fugiu da palma da minha mão. Aos poucos percebi que poderia fazer desenhos no escuro... desenhos que alegram minhas noites sem sono. 



Uma noite, ao me empolgar com tamanhas formas dentro de meu quarto, que eles iam aumentando de tamanho e se debatendo nas paredes e objetos de meu quarto até meu corpo inteiro pegar fogo!

Gritei em silêncio, pois sabia que não poderia fazer tal barulho uma hora daquelas que já deveria estar no quinto sono perante meu pai! E seria ainda muito menos prudente se alguém me visse com o corpo em chamas!



“Atenta Svetlana!” soou em minha cabeça. 
Era a voz fria de Sra. Ausra. 



Por alguns instantes, meu corpo saiu de mim e em um piscar de olhos, todo aquele fogo se apagou! Pensei inicialmente que fosse ela a ter feito tal ação, mas percebi mais tarde de que quanto mais agitada eu estou, maior é a bola de fogo que consigo lançar...

Este de todos os elementos é o mais traiçoeiro... por horas acredito dominá-lo, por vezes perco o controle e incendeio a casa de campo de meu pai. Por sorte, consigo fazer os reparos com a ajuda de árvores ao redor, mas uma hora ou outra pode acontecer um acidente maior.

Tive que mandar instalar uma falsa lareira no quarto, para fazer acreditar a todos que a alteração de luminosidade em meu quarto a noite era dada pela quantidade excessiva de madeira que colocava para me aquecer.

Tolos, como podem acreditar que eu, vinda de Kupala, pudesse sentir frio em 0 graus? Francamente... não sei se é a idade ou o fato de mexer com fogo que estou cada vez menos paciente e mais poderosa...





2 comentários:

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Muito bacana essa postagem...

Mais velha e mais impaciente... Sei bem o que é isso!

Hehehehehe

dklautau disse...

O fogo! O roubo dos deuses, a origem da civilização, a lareira e a fogueira que traz sabor e dor. O fogo!

A Svetlana traz o fogo da lascívia e da fome pela vida, e esse fogo pode consumir tudo em volta! Terá ela a intensidade para subjugar o fogo escuro do Nephandus!!! Será esse o grande teste!