20 de janeiro de 2011

Svetlana Olen ¥ Cap. 8 – Embry


Eu oferecia com muito amor minha ajuda a Vitilija quando ela necessitava colher ervas para os estudos. Com os ensinamentos de Sra Ausra, pouco a pouco fui me aprimorando com o reconhecimento delas mesmo no escuro através das texturas, odor ou aroma. Dava-me muito prazer ajudá-la. Eu me vangloriava ao reconhecer uma erva com 10 metros, e mal sabia que esta magi já a reconheceu pelo menos a 1km atrás. Sua doçura me estimulava a seguir em diante.
Passava horas com ela até o entardecer. As cores do céu já se tornavam frias, em tons azulados e arroxeados. A primavera ainda trouxera alguns ventos frios, mas o odor e frescor permaneciam na mata.

Na volta de uma dessas caminhadas, ouvi barulhos ao meu redor que até então nunca tinha ouvido. Não eram de humanos, nem de animais, muito menos de Gaia. Eram pesados, mas bem ligeiros, contudo era claramente possível perceber um cheiro molhado, algo similar a Ramus, mas que chegava a me incomodar. Vitilija sussurrou e suas palavras foram levadas pelo vento. Ela imediatamente largou a cesta que tanto teve cuidado para preencher e ao rodar seu corpo como uma dança, uma poeira se levantou e criou uma flecha que apontava a movimentação...
 
Atrás de nós, senti um vento frio correndo em direção anti-horário para a nossa frente, e a flecha explodiu e formou uma nuvem de poeira que caia devagar.  Foi ai então que vi uma criatura muito maior que nós, suja e com uma aparência muito grosseira e marcada, passando pela poeira.
 
- “Embry, o que faz aqui? Não sabe que não se pode adentrar em nossas terras, sem antes pedir nossa permissão?” – Pausa. Vitilija viu seus machucados e prosseguiu: “O que foi que aconteceu com você?”
- “Vim de longe. Coisas estão acontecendo e não sei explicar” Pausa “Mas o que temos aqui?”- Neste momento, Embry, me circundou cheirando e rindo, me fazendo arrepiar e sentir um sentimento entre medo e prazer.
-“Nem pense. Ela nos pertence. Você já teve tudo que lhe foi dado. Ou vai querer que aconteça também outro problema que nem no passado?”
-“Não! Se vim aqui, é justamente para lhe informar que estamos com problemas. Ambos. Humanos, aqueles infelizes, estão destruindo parte de Gaia e pior, um grande grupo, que me faz lembrar vocês, está começando a caçar outros como vocês. Um de meus foi pego e queimado vivo com um de seus!”
-“Não é possível... eles estão mesmo chegando?”
Essa conversa, que não fazia sentido nenhum a mim. Ouvia palavras soltas como “assassinos, fogo, bíblia, cruz, sangue, ira, vingança, proteção” que iam se mesclando. Enquanto isso, analisava cada parte de seu ser. Seus pêlos, suas expressões, seu porte, forma de gesticular, jeito de babar e até mesmo rosnar ao falar certas palavras. Seu cheiro era muito forte, combinada com a sua maneira drástica e dura de ser.
Fiquei analisando por horas a sua anatomia, maneira que cheirava o ar de vez enquanto, que se irritava enquanto contava os acontecimentos a Vitilija. Por vezes essa criatura se agachou, arranhava a terra gritava com a magi e ela nada fazia.
Me manti quieta e devo confessar que depois perdi um pouco do interesse que havia naquela criatura. Contive-me em observar de mais próximo as ervas que havia colhido e que pouco depois iria se murchar com o passar do tempo.
Depois da conversa se estender por muito tempo, ela se virou e falou:
- “Pois bem. Já sabes o que fazer. Eu ficarei de olho em meu domínio. Agradeço a vinda Filho de Gaia. Você poderá utilizar a área leste de nossas áreas quando precisar. Avisarei a Ausra que você a espera”. Vitilija se virou então, pegou a cesta e me chamou.
- “Diga que a esperarei onde sempre nos encontramos.” Embry ficou então me analisando enquanto cheirava mais uma vez e lambia suas feridas.
   
Eu saí de lá inconformada por não ter podido tocá-lo, mas me perguntava o que Sra Ausra haveria com esta criatura que não se portar nem como lobo, nem como homem.
Chegamos tão rápido, que me indagava como era possível ter demorado tanto pra encontrar as ervas. Vitilija foi correndo em direção da Sra Ausra. Ramus que também estava lá, acabou seguindo-a, acredito eu para protegê-la. Dormi perto da fogueira que haviam feito no clarão de meu segundo nascimento, até que no raiar do dia, me levante. Sra Ausra estava saindo do mato e percebi, em seu olhar naquele instante que algo de terrível estaria para acontecer e que deveríamos nos preparar. Ela se encontrara com pêlos nos cabelos e rastros de lágrimas no rosto misturado com terra. Sentir um cheiro estranho na sua pele. Mas nada me foi falado.
Ela estava cansada. Deitou na sua cama. Fui fazer um chá com ervas que havia colhido no dia anterior. Ela disse que precisava ficar sozinha no quarto. Ouvi passos, cantos e luzes. Murmuros como Embry, e logo entendi a ligação entre eles. Era Amor? Talvez, mas isso de certa maneira, deveria ser silenciado e esquecido. Foi o que fiz. Me calei. Mas esquecer aquela intrigante criatura, meio que impossível.

¥ Svetlana Olen ¥ 

7 comentários:

dklautau disse...

D. Camila, desse jeito teremos o mundo das Trevas inteiro no prelúdio de Svetlana. O narrador agradece!
Essa é a riqueza do mago. A possibilidade de passear entre todos os mundos e você retrata muito bem essa riqueza no texto de Svetlana.
Em nota pessoal, há eras, num passado remoto, esse narrador que vos fala, nas ancestrais festas do Caer, era conhecido como Barriga de Gaia, Ahroun, da tribo dos Filhos de Gaia. Tenho de fato, um apreço especial por essa tribo que você espelhou no prelúdio da Svetlana. Agradeço!

dklautau disse...

Ah sim, até agora foram quatro partes do prelúdio postadas. Isso significa que são oito pontos de experiência! Isso, é claro, se não vierem mais textos...
Use os pontos com sabedoria!!

Camila Numa disse...

Oi Mestre!
Não sabia que já foi um filho de Gaia.
Como tinha 1 bolinha (que rico como vocabulário) de conhecimento com Lobisomem, tinha que justificar aquele meu "favor" em conversar com eles. De todos, eles são considerados os mais pacificadores, e pra justificar tb a aceitação "conosco" optei por eles que tem tb uma relação mais próxima com os verbenas.
^^
Fiz um estudo rápido e algumas ligações pro Filipe me ajudar.
Daí surgiu essa oportunidade de falar tb um pouco sobre Herborismo e explicar o porque dos 2 pontos de herborismo (viu só como serviu aquela escaneada na planilha?).
Os pontos eu estou verificando em que posso gastar. Não vai ser só em esfera (eu bem que queria logo), mas quero aumentar tb conhecimento e atributos. Tá na hora dela melhorar nesses pontos tb.
Em relação aos textos, queria fazer até o nosso próximo encontro mais uns 13 textos (exagerada, mas sábia)> Fiz até uma lista com os títulos dos préludios que devo seguir pra não me perder e detalhar ao máximo Svetlana e justificar sua planilha. é só!
=)

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Grande Camila,

Excelente texto. Gostei muito da relação entre as feiticeiras e as criaturas da floresta. Muito legal...

Parece que a inquisição está chegando... Hehehe

Vc quer produzir 13 textos!!!! Nosa, vai ser difícil te acompanhar...

Hugo Marcelo

Camila Numa disse...

Hugão, são 13 textos a mais pq preciso pra tentar evoluir e chegar mais perto da capacidade que vocês vc e a Aurora tem!
Eu sempre sou a fracota que não tem mt necessidade a não ser, ser utilizada de cobaia por vampiros ou tentar ser exorcizada pela Ordem da razão!
¬¬

Quero crescer e ser que nem o Poderoso Abdul e Aurora!

Em relação a Inquisição, tenho que ter um álibe pra Svetlana começar a ser forçada a sair além do Sh´zar, pois ela vai deixar o meio dela (floresta) pra ir pra Florença, que era a Popzona da Europa na Época.

^^

Hugo Marcelo Barbosa disse...

#Sorry

Grande Camila,

Sinto que vc está incomodada pela falta de poder mágico... Hehehe. Sei bem o que é isso!!

Logo, logo vc estará conjurando tempestades, causando erupções vulcânicas, maremotos e terremotos...

Sugestão: gaste tudo em esferas...

Hugo Marcelo

dklautau disse...

Aliás, sempre achei que a profundidade da Svetlana superava sua fracotive em bolinhas. De fato, as bolinhas na planilha só servem pra ajudar a contar estórias mais espetaculares! E com mais prelúdio, mais espetacular fica a personagem.

Vejamos se você consegue expandir a relações com os lobisomens, os Fianna também tem relações com magi e feéricos. podemos até ver se isso se reflete em Florença!
abs.