23 de outubro de 2012

Sessão Jogo 06.out.2012


Ainda na terra dos Talenti, após batalha contra os cainitas, Svetlana e Aurora percebem que estão sendo espionadas por unseelis. Para evitar conflito, tentam uma magia para fugir rapidamente dali, mas Svetlana é convocada por seu daemon para um aprofundamento na magia e finalmente obtem a maestria plena na arete, forjando-se arquimaga. Enquanto isso, Aurora migra para o mundo espiritual, onde tem a visão de "resíduo espiritual" que remete à presença de Iorak, entidade maligna que impregnou a Coroa de Carlos Magno, dragando todos os espíritos da região. Ao retornar ao mundo material, Aurora reencontra Svetlana, se transmutam em seres alados e como águias voam de volta à Santa Croce.

Svetlana recebe uma mensagem de seu aliado, Brilho da Lua. Alguns artefatos da Wyrm chegarão à Florença e uma matilha de jovens Garou irá destruí-los. Pede sua ajuda para evitar a interferência de Heráclito de Creta. Enfim, todos os magi dormem.

Na manhã seguinte, quinta-feira, Arturo avisa a Cabala que um dos priores, Alberto Donati, um maçônico, foi brutalmente assassinado. São dois nomes que entram na disputa por seu lugar: Augusto Vasari, ex-gonfaloneiro ligado aos dedaleanos, e Orlando Albizzi com o apoio de Cosmo Médici. A eleição, interna aos priores, acontecerá depois da visita do Papa, cuja recepção está marcada para domingo. Svetlana investiga o ocorrido com o prior assassinado e descobre a presença nefândica e infernalista, lembrando odiosamente de Pedro e Salomé.

Abdul é visitado por um monge de San Miniato al Monte com uma mensagem dos Assamitas. Nela consta uma lista de acólitos dedaleanos que foram assassinados conforme sua orientação. Relata ainda que confrontaram alguns Gabrielitas e que sua presença em Florença foi revelada. A inquisição visitará San Miniato al Monte. Abdul responde que irá ao mosteiro ao anoitecer.

Os magos se reúnem no cray. A tensão se instaura quando discutem sobre Aleandra, a cainita que agrediu Abdul e se embriagou com seu sangue; mas a exclusão de Caliban é um ponto especialmente nevrálgico para os magos. Heráclito de Creta estava particularmente insatisfeito, assim como Aurora que temia pela segurança de Ariel. Heráclito argumentou que é inaceitável uma cabala de magos poderosos não conseguirem destruir alguns vampiros e pior, ações desastradas culminaram na eliminação de um dos espíritos protetores do Cray... Tudo isso por nada!

Abdul Haseeb, triste e atribulado por seus inaceitáveis erros em batalha, pede desculpas à Cabala de Florença.

A cabala então se divide. Abdul se dirige para a mesquita, onde se reunirá com o Bargello Riccardi e outros membros da comunidade islâmica. Heráclito se dirige à Ponte Vecchio para buscar o “Colar e o Bracelete de Hefestion” trazidos por um mercador grego, Christoudouous, diretamente do Cray Labirinto do Touro. Aurora Médici se reunirá com o inquisidor Antonino Pierozzi por volta das 15:00hAntes de se retirar da Santa Croce, Abdul cria uma rede telepática de comunicação, Naffas Allah
   
Neste momento, valendo-se de seus conhecimentos sobre o Tempo, Svetlana paralisa, “congela” Heráclito de Creta. Tenta cooptar Aurora que presencia sua traição, mas ela se recusa a colaborar, sendo também feitiçada. Abdul Haseeb absorto com os problemas da comunidade islâmica, nada percebe.

O Batini debate com o Bargello sobre a segurança da comunidade islâmica de Florença e graças a sua retórica conquista os corações dos muçulmanos e o respeito do Bargello. Acordam em reforçar a segurança nos locais de culto.

Passado alguns instantes, Svetlana libera Aurora e Heráclito de Creta de sua magia.  Aurora se encontra  no Duomo dei Fiori com o inquisidor Antonino de Florença, um jovem que lembra muito o falecido D. Abruzzio, com a mesma convicção transbordante e seus olhos de águia. O inquisidor exige a presença do casal Médici Riccardi na recepção ao Papa no domingo pela manhã. Após algumas conversas, a solificati compreende que este inquisidor causa desconforto mesmo nos Gabrielitas. 

Enquanto isso, Heráclito parte para o encontro com Christoudouous. Ao chegar à Ponte Vecchio, Heráclito de Creta se depara com inúmeras pessoas assustadas, barracas vandalizadas e não encontra o mercador.

Valendo-se da rede telepática, Heráclito de Creta pergunta a Abdul pelo responsável daquela ofensiva. Abdul faz uma magia e constata que foram os Garou. Sugere que se reagrupem na Santa Croce, fazem uma magia conjunta e descobrem que uma das relíquias foi destruída, mas que o “Bracelete de Hefestion” estava ainda incólume, no Caern.

Heráclito de Creta, arrasado, comunica à cabala que irá se ausentar de Florença. Partirá para o Cray Labirinto do Touro para receber a punição que lhe é devida. Svetlana se altera. Pede para que não vá, mas o Eutanatos está decidido. Então, Svetlana insiste em ir com ele. Herácrito contrargumenta, mas se vê obrigado a aceitar sua companhia. O cray Chakravanti na ilha de Creta abre um portal e o jovem casal vai de encontro ao seu destino.

Ao chegarem no cray Labirinto do Touro, Svetlana, uma Verbena, sente um profundo mal estar ao se defrontar com os “Adoradores da Morte”. Herácrito de Creta é repreendido pela perda do artefato e que sua punição será ter que viver com o fantasma de seu fracasso. É lhe dado uma missão: recuperar o “Bracelete de Hefestion”, custe o que custar.
   
Anoitece. Abdul Haseeb se dirige ao mosteiro de San Miniato al Monte e se reúne com os Assamitas. É informado que o monge que cobiçava a Harpa de Davi, é um vampiro velho, poderoso, e inimigo de Aleandra e seus asseclas. Abdul abre um portal e se despede de seus aliados que retornam para Constantinopla, juntamente com seus serviçais e seus "guardiões". Abdul sente um frio percorrer sua espinha. Sem os Assamitas a ameaça Tremere volta a assombrar Florença, ao passo que cainitas velhos e muito poderosos estarão dispostos a tudo para manter seu poder. Como se não bastasse, forças demoníacas, devastadoras, pairam sobre a Toscana. 
     
Ao retornar à Florença, Heráclito de Creta convoca Abdul para recuperarem o “Bracelete de Hefestion”.  A Cabala está a beira de uma guerra contra os Garou. De qual lado ficará Svetlana? De seu esposo, também mago e companheiro a quem deve lealdade e amor; ou dos Garou, criaturas que encarnam o que existe de mais puro e selvagem, cuja amizade lhe é muito cara?
    
Qual será o destino da Cabala de Florença? Ser consumida por suas contradições internas ou ser aniquilada por seus inúmeros inimigos?






4 comentários:

dklautau disse...

Grande doctor! Excelente descrição. Parabéns pelos termos apurados para este relato de nossa magnífica aventura em terras renascentistas.

Às vezes eu mesmo fico espantado com a quantidade de tramas que esse negócio está estabelecendo. Uma rede bem complexas que se tece em nossa frente. Veremos como vai acabar!

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Grande Diego,

Mais uma vez, obrigado pela excelente mestragem...

Essa crônica está demais!!

Hugo Marcelo

Fabi Dias disse...

Muito bom,Hugão!
Só dei uma arrumadinha no começo, pq a Aurora foi sozinha para o mundo espiritual!

Bjos

Hugo Marcelo Barbosa disse...

Obrigado Fabiana,

Hugo Marcelo